Para: Ministério da Justiça e Ministério da Segurança Social.
“A Susana nutre pelos seus filhos um amor incondicional, no entanto assistimos com indignação a forma como tem sido subestimada e reduzida a nada. O seu esforço e dedicação para reaver os seus filhos não conhece limites, apesar de para muitos todo esse esforço ter sido insuficiente. A Susana é uma pessoa com uma escolaridade baixa e educação modesta, cresceu num ambiente nem sempre considerado ideal, circunstâncias que fizeram dela a mulher e mãe que é hoje, mas será que a sua condição modesta faz dela uma má mãe?

A Susana transmite aquilo que aprendeu, aquilo que ela própria teve oportunidade de aprender ao longo da sua infância. Infelizmente nem todos têm as mesmas oportunidades de vida! Contudo e apesar de todas as dificuldades é inegável que a Susana tem vindo a evoluir no seu papel de mãe, e a verdade é que ao longo de todo este tempo verificou-se uma grande evolução na sua vida enquanto mãe. Por exigência das técnicas da acção social deixou o companheiro e pai dos seus filhos, mudou de casa para uma com melhores condições, comprou mobiliário adequado aos menores, frequentou aulas de parentalidade, reaproximou-se da sua família e inscreveu-se num curso das Novas Oportunidades, tudo isto no pressuposto de ter os seus filhos de volta. A Susana é uma mãe sozinha e trabalhadora, trabalha incansavelmente doze horas por dia no ramo da hotelaria para poder proporcionar uma vida minimamente confortável aos seus filhos. A Susana visita religiosamente os seus filhos na instituição onde permanecem. A Susana é pobre? É. Tem dificuldades? Tem. Precisa de ajuda? Sem dúvida que sim. Mas que ninguém duvide do seu amor e o seu esforço por os seus filhos!

Isto é sem duvida um apelo as pessoas que possam e queiram ajudar a Susana a não perder os seus filhos tão injustamente. Por favor assine pela Susana, pelo Francisco e pelo João Pedro para que possam ser uma família feliz e unida. As crianças têm direito antes de mais a uma família natural que respeite a sua identidade e personalidade. Os signatários.”

Leia a notícia no site da RTP. Clique aqui.