Uma gaivota, pairando o seu olhar por uma côdea…
Gaivota de Esposende, no seu posto de vigilia.
Um mar bravo, “picado”, “alto”
e os pescadores esposendenses esperam por melhores dias,
ou melhor, por melhores mares…
-repetir “melhores”, não faz mal à lìngua portuguesa!
“Quanto mais “melhores” MELHOR:
A poluição, vindo do mar.
A árvore ainda não foi vista
pelo meu grande amigo DIMAS Paquete…Senão já estaria
no braseiro e logo com este frio!
Zé Rego, um esposendense
devotado às causas da solidariedade desportiva e não só!
Dia 7 de Janeiro, dois esposendenses, numa tarde “Invernaveril”
visitando o Mar e o frio que nos atormentava.
Os peixes descanam e não vão para as cavernas das lanchas
porque os pescadores de Esposende estão “parados”
O Mar não deixa trabalhar estes corajosos homens:

Um abraço Fernando, do Carlinhos