Autor: Alfredo Maia

A velha aldeia perdeu o areal do “banho santo” e uma das praias mais frequentadas da região. Perigo de avanço do mar impõe retirada da população.
(…)
“A marina seca porque o lodo se acumulou e não houve nenhuma intervenção – deviam fazer uma dragagenzita”, observa André Cardoso, 33 anos, presidente da Associação de Pescadores de Esposende. “Antigamente, havia nesta delegação mais de 4500 barcos registados e não estão aqui porque não têm condições e o rio não tem navegabilidade”, diz.