“entre aspas”
Textos selecionados
“À porta das tascas mais afamadas, parava o cortejo para que os carregadores descansassem, dando previsivelmente ensejo a uma animada rodada de tintol e oportunidade para que os frequentadores fitassem o estafermo. Nestas circunstâncias, lançavam sobre a vítima os mais acutilantes impropérios e injúrias, do pior que a língua contém em termos vernáculos, bem se vê. Era também ocasião para se juntarem à comitiva mais uns tantos acompanhantes, maioritariamente mulheres de luto ou gente que maiores lamentações tinham a fazer sobre o ano que estava prestes a finar.”
in HENRIQUES, Armando Meira Marques – O Ano Velho em Esposende. Esposende: Junta de Freguesia de Esposende, 2002.