UM PASTOR DA SENHORA DA GUIA

Perdido que foi o nosso pastor
O rebanho jamais esquece o passado
Que continua a chorar amargurado
A perca de um mensageiro do Senhor.


Mais de trinta e cinco anos de pastorado
Numa aldeia cheia de puro bairrismo
Soube contrariar folias e pessimismos
Dando coragem a um povo acautelado.


O guia da nossa terra foi-se embora
Chamado por Deus à eterna demora
Sem poder conduzir seu povo mais além.
Agora que está junto da Divina-Mãe
Recebeu o justo prémio de amor
Pelo muito que fez para Nossa Senhora.


O Monte da Guia era o seu jardim
Que ajudou a ordenar e a florir
Num lindo caminho de preces e orações.
Assim nos tempos que o tempo fará vir
Certamente outras obras terão um fim
Para conservar viva a fé das multidões.


Pela última vez que subiu a escadaria
Com certeza pediu à Senhora da Guia
Por todos nós e povo de Belinho.
Foi sempre este seu voto dia a dia
Motivar as gentes a ter fé com alegria
Para ser de todos este santo caminho

António Gonçalves Pereira
13/07/2005