A MINHA REFLEXÃO PARA HOJE

Um dia destes recebi um documento vindo de uma Candidatura que escolheu como Slogan “DEFENDER PORTUGAL” e esse documento – que pomposamente apelidaram de “NÓS DEFENDEMOS O DISTRITO DE BRAGA” pretende ser um Compromisso Distrital dos candidatos do Partido Socialista para a região bracarense.

Como cidadão que gosto de andar informado, mais ainda porque tenho o prazer em integrar a lista de candidatos a Deputados do PSD pelo círculo de Braga, li o texto com muita atenção e pensei mesmo que estaria perante um documento sério, com propostas e ideias novas. Depois de o ler fiquei com a impressão de que quem o escreveu nunca esteve no governo, não é governo e nada tem a ver com a situação a que Portugal chegou nem se sequer tem nada a ver com os problemas que afligem o nosso Distrito de Braga. Uma coisa os louvo – demonstraram serem corajosos para se apresentarem um com documento deste género.

Começam por dizer que o desafio que têm pela frente exige um grande sentido de responsabilidade é que, digo eu, certamente, só acordaram agora deste pesadelo em que nos colocaram mas já é tarde e ESTÁ NA HORA DE MUDAR.

Não resisti a fazer aqui, convosco, uma reflexão sobre esse mesmo documento.

Pretendem, a partir de agora, promover uma democracia de proximidade. Até dão alguns exemplos no seu site recomendado.

Falam do Ambiente e só agora despertaram para a necessidade em ter uma gestão de proximidade, por exemplo, no Parque Nacional da Peneda Gerês – ouvindo as populações locais trabalhando em estreita colaboração com elas. E então o nosso Parque Natural Litoral Norte? Merecerá a mesma atenção? Porque não quiseram os senhores do governo socialista fazer esse tipo de gestão quando nos colocamos à sua inteira disposição para que este fosse gerido com essa proximidade que agora, pelos vistos é seu apanágio? Se tiverem dúvidas daquilo que aqui e agora afirmo, perguntem aos senhores Presidentes das Juntas de Freguesia inseridas no Parque Natural.

Falam de Desenvolvimento Económico e Emprego e é António José Seguro – cabeça de lista por Braga que diz que as empresas portuguesas “devem ser estimuladas a participar nos concursos públicos” – certamente esqueceu-se que as Público-Privadas – as Parque Escolar e outras afins liquidaram quase que de vez as empresas que antes concorriam livremente e sadiamente, sem recurso a subterfúgios e a negociatas pouco claras e transparentes. Aliás foi o próprio António José Seguro quem disse que e cito – “o centralismo é uma cultura que nos persegue há anos ( aqui sim olhava para a gestão socialista) e que tem de ser progressivamente atenuado, uma vez que também aqui no distrito de Braga leva frequentemente ao mais lento desenvolvimento e progresso das empresas”. Certamente que os candidatos por Braga do PS já ouviram falar em desemprego. Saberão que até Fevereiro de 2011 o desemprego no Distrito de Bragaagravou-se de forma assustadora e muito preocupante. É o sector têxtil e vestuário, é o sector da construção civil, é o sector do comércio a grosso e retalho … mas o Distrito de Braga bate todos os índices nacionais quando falamos de desemprego de longa duração. Que poderão prometer mais os Candidatos de Braga e o Sr. Engenheiro José Sócrates? Praticamente todos os concelhos do distrito vêm o desemprego a aumentar, as famílias sem esperança, as crianças a passarem fome, os jovens empurrados para estágios para não aumentarem as estatísticas do desemprego, os casais de meia-idade a perderem a vontade de procurar emprego. É este o retrato de um distrito que há anos era referenciado como exemplo no emprego, na qualidade de vida, no bem-estar da população.

Na Educação os mesmos congratulam-se e vangloriam-se pelo programa que o governo socialista apresenta para a requalificação das 14 escolas no distrito. Será que se esquecem que esse programa está suspenso – quase que poderemos dizer ad eternum. Ainda há pouco tempo na Assembleia Municipal questionávamos o governo sobre o projecto de recuperação da nossa Escola Secundária Henrique Medina – como se iriam gastar aí 13 milhões de euros – sim 13 milhões de euros ouviram bem – e o pior de tudo é que nem estiveram interessados em saber o que preconizava a Carta Educativa do Concelho, nem contactaram a Câmara – nada. É este o governo de proximidade que José Sócrates promete agora, mas quis fez antes? Ser Professor nos dias hoje é um acto de coragem. A burocracia, os papeis e mais papeis, as reuniões do faz de conta são tantas que poucas energias restam para o verdadeiro acto de Ensinar. E vem o candidato António Braga dizer que “através destes investimentos em instalações e equipamentos é possível abrir melhores condições para o ensino, tanto relativamente aos alunos, que adquirem possibilidades mais dinâmicas de aprendizagem, como para os professores, que desta forma ficam habilitados com melhores meios para desenvolver as suas tarefas”. Não sei se alguma vez este candidato foi Professor mas parece que não pois saberia muito bem que ensinar e saber ensinar está muito para além da panaceia tecnológica. Permitam que vos diga que há dias, visitando uma escola do primeiro ciclo do ensino básico, fomos confrontados com um panorama assustador – mais de metade dos Magalhães não tinham teclas, outros estavam partidos, mas pior de tudo foi a Professora dizer que este ano tinham sido oferecidos CD com temática para os alunos mas que – pasme-se, os Magalhães não têm leitores de CD’s. Então para que servirão aqueles documentos? Perguntava a Professora indignada.

Na Saúde falam pomposamente na criação de cluster da saúde em Braga! Muito gostaria de saber quantos habitantes do distrito de Braga entendem o significado de Cluster da Saúde! Falam do Novo Hospital de Braga, da sua interligação com a Escola de Ciências da Saúde, da sua ligação ao Instituto Internacional de Nanotecnologias, com Laboratórios, etc, etc. Onde se enquadra o doente nisto tudo? Como vai articular com outras unidades de saúde do Distrito e mesmo com o Hospital Distrital de Viana do Castelo? Será que mais de duzentas camas vão destinar-se a um Hotel/Hospital como já se diz por aí? Que contraste de discurso com os problemas que os 6000 utentes do concelho de Esposende têm para se inscreverem num médico de família. Que discurso desajeitado quando Apúlia – uma das mais populosas freguesias do concelho, se vê privada de médicos e mais de 2500 utentes são obrigados a virem para Esposende à espera de uma consulta na USF. Visitamos os dois hospitais do concelho de Esposende. Ouvi as suas preocupações com o futuro. Ouvi atentamente a forma como gerem os poucos euros que lhe sobram. Ouvi os seus anseios e o que gostavam de fazer para dar uma resposta eficaz aos seus utentes. Ouvi, com muita atenção, a forma solidária como estão nestes projectos, dando todo o seu trabalho de uma forma graciosa e pouco reconhecida pelos governantes.

Falam de Espaço Rural mas esquecem-se da Agricultura. Aconselho-os vivamente a visitarem a Cooperativa Agrícola de Esposende e verem, in loco, o que de bom se faz e o que se deveria fazer para melhorar este sector no Distrito de Braga. Bem os agricultores aqui presentes não fiquem tristes por não merecerem a atenção dos senhores candidatos do PS por Braga, também da pesca e dos pescadores nem uma linha. Até se esquecem que Esposende e a sua comunidade piscatória fazem parte deste distrito. Que pena! Que bom seria se nos tivessem acompanhado numa visita à doca de pesca, guiada pelos pescadores, e a uma reunião de trabalho com a Associação de Pescadores de Esposende onde se poderiam inteirar das suas preocupações.

Para finalizar neste pomposo compromisso o Partido Socialista garante uma atenção especial à Cultura e às políticas da Juventude.

Ó diabo! esqueci-me de ler esse capítulo. Voltei ao início, cheguei ao fim – nada. Na cultura dizia em três linhas – como se ninguém ainda soubesse – que o distrito será palco em 2012 da Capital Europeia da Cultura – Guimarães e Braga será Capital Europeia da Juventude. Pasme-se só isso. Que pena vermos o Forte de S. João Baptista, o Facho da Bonança, a Estação Radionaval de Apúlia, as Sete Fontes, em Braga, e tantos outros monumentos, em estado avançado de degradação. Já agora – o PSD que me desculpe – mas ofereço-me com todo o gosto em ser guia numa visita ao Distrito na área da cultura, à candidata Gabriela Canavilhas, que por acaso até é Ministra da Cultura – e que tão mal ficou neste compromisso cultural para o Distrito de Braga.

CAROS AMIGOS

Este não é um COMPROMISSO com os eleitores, este é um Documento que falta à verdade, não é sério e, certamente, foi feito e publicado pensando que ninguém o leria. Enganaram-se e daqui lanço um forte apelo para que de uma vez por todas falem a Verdade e façam política a sério.

Esposende, 24 de Maio de 2011
Anúncios