A Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, de Esposende, acolheu, no passado dia 27 de Maio, a iniciativa “Jovens, Livros e Autores – Leituras e Oralidades”.

Num tempo em que se aponta a desmotivação para a leitura por parte de uma geração que nasceu e cresceu com as novas tecnologias de informação e comunicação, numa sociedade cada vez mais global, alguns jovens apresentaram as suas apreciações de leitura.

Tratou-se de um grupo de jovens do 12.º ano da Escola Secundária Henrique Medina, do Curso Cientifico-Humanístico e do Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicosocial, que trouxe a público alguns dos livros que leram no âmbito do “Contrato de Leitura”, nomeadamente, “Homens, Dinheiro e Chocolate” de Menna Van Praag, “Comer, Orar, Amar” de Elizabeth Gilbert, “O Anjo Branco” de José Rodrigues dos Santos, e “A Viagem de Théo” de Catherine Clemente.

Além de ter servido para abordar a importância da leitura, a apresentação destes livros constituiu uma oportunidade de a Escola mostrar à comunidade em geral o trabalho realizado ao longo do ano e incentivar para a leitura no período de férias que se aproxima.

 

A Vereadora da Educação e Cultura da Câmara Municipal de Esposende, Jaqueline Areias, felicitou os jovens pela iniciativa, bem como a professora responsável, Catarina de Brito, que explicou que este projecto de leitura tem como finalidade que os alunos saibam realmente “ler, escrever e exprimir-se correctamente na oralidade”. A docente realçou que o “Contrato de Leitura” que fazia com os alunos, inicialmente com alguma resistência, se tornava depois um desafio gratificante, e mostrou-se “muito orgulhosa” desses jovens.

Por sua vez, a responsável pela Biblioteca Escolar da Escola Secundária Henrique Medina, Fernanda Vilarinho, apontou a “extraordinária evolução” dos alunos desde a primeira apresentação pública, afirmando que “cresceram culturalmente, alargaram os seus horizontes”, e referiu que uma das alunas presentes foi a vencedora distrital do Concurso Nacional de Leitura, tendo representado a Escola Secundária de Esposende em Lisboa.

No final, algumas pessoas manifestaram surpresa e profundo contentamento pela qualidade das apresentações, pela postura dos jovens e pelo seu discurso fluente e coerente, decorrente não só da leitura, mas também do treino da oralidade.