A edição desta semana do jornal Sol noticia que o Governo se está a preparar para acabar com o subsídio para despesas de representação dos autarcas.
Esta medida representará, em termos práticos, uma redução média de 20% do vencimento líquido de quem exerce funções executivas numa Câmara Municipal.
(…)
É óbvio que esta é uma medida bastante popular para o Governo e principalmente para o seu principal mentor, já que a maioria dos portugueses, por vezes um pouco invejosa, entende que os políticos deveriam ganhar o salário mínimo nacional. Contudo, daqui a algum tempo veremos que tipo de pessoas teremos à frente das Câmaras Municipais. E eu detesto dizer “eu bem avisei”.