O mote principal deste blog inspira-se na minha passagem, obviamente ocasional, pelo Largo Rodrigues Sampaio, o centro vital do pequeno burgo que é Esposende! No café Cine, um advogado, meu conhecido, natural das Marinhas comentaria in situ que eu estava pensativo, segurando o rosto com a mão esquerda. (…)

E o poder instituído até faz crer tudo isto em nome da produtividade, para se ter  mais competitividade. Afinal, caminha-se para uma pérfida imitação do baixo custo chinês, sem direitos e à merçê dos grandes grupos financeiros! Preparem-se para ficar com olhos em bico e de bolsos vazios! (…)

Deixei o café muito angustiado, sem dever nada a um Estado Devedor, olhando para um ceú azul como se pedisse um balão de oxigénio ao horizonte visual que se me deparava. Algumas mulheres plantavam “amores-perfeitos” nos canteiros da base de uma estátua de um antigo 1º Ministro de Portugal, precisamente Rodrigues Sampaio (O Homem de Mar!). Uma delas dizia para a outra, nós damos à terra estas lindas flores, mas quem nos paga, dá-nos com uma mão e tira-nos com  a outra! Nunca La Palice foi tão verdadeiro e real! No meu ponto de vista, eu pensava noutras flores, nos cravos que se transformaram em malmequeres! (…)

Mais do que nunca é um país em risco! São cravos que poderão nunca mais florir ou despontar, alguma vez pensaram nisso? Não sei mesmo, se teremos engenho e arte para aguentar a democracia, tal como a concebemos! Para já, tudo está aquém… vamos ver se conseguimos chegar mais além!(…)