(…)Depois, quis saber o que se passava no nosso concelho e fiquei torpe de números, temos mais 40% de adultos com o 4ºano de escolaridade, um nível de qualificações baixo, que vai de encontro à precarização que esta economia desregrada quer obter. Desiludido com a realidade, li num cartaz, o pedido de ajuda na Galeria Rodrigues Sampaio, com oferendas tipo brinquedos, roupas, sapatos, alimentos…. para as famílias carenciadas do concelho. Bem, não está contabilizado verdadeiramente quem mais precisa e se a ajuda não é uma ajudinha, mas por certo que não faltarão necessitados num concelho rural que é pobre! (…)
Anúncios