Câmara Municipal de Esposende cede Centro Cultural de Fão à Junta de Freguesia
No dia em que comemorou o 36.º aniversário da elevação a Vila, a 8 de Dezembro, Fão viu cumprir o desejo antigo de ter uma sede de Junta de Freguesia com instalações condignas. A aspiração foi agora concretizada através de um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal de Esposende e a Junta de Freguesia de Fão, com vista à cedência do edifício do antigo Museu d’Arte, agora designado Centro Cultural de Fão. O protocolo é válido por um período de dez anos, podendo ser prorrogado por iguais períodos.
Para além de acolher os serviços da Junta de Freguesia, o imóvel dispõe de salas de exposições, sala de leitura da Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura e estação dos CTT. No mesmo espaço, funcionará um gabinete do Serviço de Acção Cultural do Município, que terá a seu cargo a dinamização do Centro Cultural.
O Presidente da Camara Municipal referiu que a conjuntura que o país e o Município atravessam obriga a repensar a construção e a gestão dos equipamentos públicos, razão pela qual a Câmara Municipal optou por instalar a sede da Junta de Freguesia de Fão no edifício do antigo Museu d’Arte, ao invés de efectuar obras de requalificação no edifício contíguo, propriedade camarária, adaptando-o para sede da Junta de Freguesia. João Cepa justificou a opção também com a impossibilidade do Município manter em funcionamento dois museus de carácter municipal, atendendo ao elevado investimento financeiro subjacente ao funcionamento destes equipamentos.
Perante a vasta plateia presente na cerimónia de assinatura do protocolo, o Autarca lembrou que “o Museu d’Arte foi um equipamento muito importante para a dinâmica da Vila” de Fão, que organizou importantes exposições e recebeu inúmeros visitantes, e manifestou-se convicto de que, através desta parceria com a Junta de Freguesia, será possível imprimir uma dinâmica que permita que este continue a ser “um equipamento de referência”.
Por outro lado, João Cepa destacou a política de descentralização que tem vindo a ser seguida pelo Município e enalteceu a cooperação que tem existido entre a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia. Apontando o caso concreto de Fão, disse que fruto do espírito de colaboração estão garantidos novos investimentos na Vila, sendo que alguns deles já estão em curso, perspectivando-se para breve o início da 2.ª fase da requalificação da Zona Ribeirinha.
O Autarca referiu-se ainda à actual conjuntura para dizer que o Município e as Juntas de Freguesia têm que adaptar a sua gestão aos recursos financeiros disponíveis. Uma nova realidade a que a Câmara Municipal de Esposende não é alheia e que lhe permitiu transitar de 2011 para 2012 “sem uma única factura vencida por pagar”, frisou João Cepa, aproveitando a oportunidade para revelar que o estudo “Avaliação de Desempenho dos Municípios Portugueses”, efectuado pelo Instituto Superior Técnico, coloca Esposende nas primeiras dez Câmaras Municipais do país consideradas eficientes, tendo em conta a relação entre os recursos financeiros, o número de trabalhadores e os serviços prestados à população, sendo que dos 308 municípios apenas 41 foram considerados eficientes.
Terminou a sua intervenção garantindo que cumprirá o mandato até ao fim, sendo sua intenção concretizar os projectos mais importantes para o desenvolvimento do concelho e deixar a Câmara Municipal com boas condições financeiras, sem dívidas.
“Este protocolo é a concretização de uma ambição antiga fangueira”, assinalou o Presidente da Junta de Freguesia, dizendo que “Fão era, até hoje, a única freguesia do concelho de Esposende que não possuía uma condigna sede de Junta, um edifício que dignificasse a instituição e a freguesia”. Luís Peixoto manifestou a satisfação pela melhoria na qualidade do serviço prestado à população, assim como pela dinamização cultural do espaço, onde está patente uma exposição de caricaturas do fangueiro Alceu Vinha dos Santos.
O autarca de Fão manifestou a convicção de que, com a instalação da sede da Junta neste edifício, localizado em plano centro histórico, a Vila recuperará a dinâmica e vivência do passado e deixou um desafio às associações e colectividades locais para se envolverem na dinamização do espaço.
Luís Peixoto agradeceu ao Presidente da Câmara Municipal os investimentos que estão a ser feitos e que vão ser efectuados em Fão, assinalando que “os fangueiros estão agradecidos”.
Anúncios