Sessão de cumprimentos nos Paços do Concelho
Bombeiros Voluntários de Esposende comemoram 121 anos
Dando cumprimento à tradição, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Esposende foi recebida nos Paços do Concelho, a 25 de Março, no dia em que comemorou o 121.º aniversário, para a habitual sessão de cumprimentos.
A receber os órgãos dirigentes dos Bombeiros Voluntários esteve o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, João Cepa, que agradeceu a visita e as palavras de cortesia do Presidente da Assembleia Geral da Associação Humanitária, realçando “que constituem uma fonte de motivação para continuarmos, no futuro, a tentar colaborar com esta instituição dentro daquilo que são as nossas possibilidades”.
João Cepa felicitou os bombeiros pela passagem de mais um aniversário, assinalando que a instituição possui uma “história notável”. Aproveitou a oportunidade para, enquanto cidadão mas sobretudo como Autarca, “prestar homenagem a todos aqueles homens e mulheres que, ao longo da história da instituição, trabalharam de forma muito empenhada e responsável para que ela se tornasse um motivo de orgulho para todos os esposendenses”.

Dirigindo-se aos corpos sociais e ao comando, João Cepa agradeceu a dedicação e empenho da corporação nas ocorrências do dia-a-dia, no socorro às populações, bem como a disponibilidade e a colaboração mantida com a Câmara Municipal, seja no apoio ao desenvolvimento de actividades seja no domínio da protecção civil.
O Autarca referiu que tem consciência de que a conjuntura económico-financeira, tal como nas Autarquias, também se reflecte ao nível associativo, assegurando, contudo, que o Município está disponível para “tentar encontrar soluções para ultrapassar as dificuldades”. Manifestou, de resto, a convicção de que o país vai ultrapassar a crise, ainda que não seja “tão depressa como nos querem fazer crer”.
Em representação da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Esposende, o Presidente da Assembleia Geral agradeceu ao Presidente da Câmara Municipal a cooperação prestada pela Autarquia, assegurando que o corpo activo cumpriu, abnegada e eficientemente, as missões que lhes foram confiadas, e pediu para que o Município continue a colaborar com a instituição. Francisco Marques reconheceu que, fruto da actual conjuntura, a Câmara Municipal também terá dificuldades acrescidas para prestar o apoio que gostaria à instituição, que, desde 2007, viu baixar para menos de metade as receitas provenientes dos transportes de doentes, mas mostrou-se confiante de que as dificuldades serão vencidas.
Serviço de Comunicação e Imagem da CME
Anúncios